Dezembro 7, 2021

Agricultura Internacional

Imprensa especializada do setor agrário

Em direção a uma agricultura e pecuária aliadas ao clima e ao ambiente

3 min read

Os objetivos ambientais da próxima PAC baseiam-se em dois pilares fundamentais, a iniciativa “Farm to Fork” e a Estratégia de Biodiversidade, que estabelecem os objetivos para os quais as zonas rurais se deslocarão.

Cerca de três em cada dez euros da próxima Política Agrícola Comum (PAC) irão para os agricultores em pagamento dos compromissos ambientais que irão assumir. A Comissão Europeia pretende tornar o campo um dos seus melhores aliados na ação climática e na conservação da biodiversidade.

Para além de serem seguros, nutritivos e de alta qualidade, os alimentos europeus terão de ser produzidos com um impacto mínimo na natureza. Este será um requisito que os agricultores terão de cumprir para receber uma parte significativa dos fundos da próxima PAC; em particular os fundos ligados aos regimes ecológicos (ajudas diretas aos pagamentos ambientais) e às ajudas agro-ambientais e climáticas, associadas aos fundos de desenvolvimento rural (o chamado segundo pilar da PAC).

Metas ambientais para 2030

Os objetivos estabelecidos pela Europa para o próximo ciclo da Política Agrícola Comum (PAC) estão alinhados com dois documentos-chave para a Comissão Europeia, ambos derivados do Acordo Verde: a estratégia From Farm to Fork e a Estratégia Europeia para a Biodiversidade. Estas estratégias estabelecem metas ambientais a serem alcançadas no campo até ao final desta década:

– Uma redução de 50% na utilização de pesticidas.
– Uma redução de 50% no uso de antibióticos, que só podem ser utilizados em casos muito específicos em que são considerados essenciais.
– Uma redução de 20% na utilização de fertilizantes.
– Atingir 25% das terras agrícolas dedicadas à agricultura biológica até 2030 (atualmente a percentagem é de 8% na União Europeia no seu conjunto).

O caminho para uma agricultura e uma pecuária mais sustentáveis envolve o incentivo de práticas alternativas para a proteção das culturas, utilizando métodos orgânicos e/ou físicos para substituir os herbicidas e inseticidas químicos, que, onde devem ser utilizados, devem ser de baixo risco.

A Comissão pretende facilitar a colocação no mercado de pesticidas contendo substâncias biológicas ativas e reforçará a avaliação dos riscos ambientais dos pesticidas.
Tais medidas irão gerar benefícios de duas maneiras. Em primeiro lugar, assegurará o acesso a dietas saudáveis e económicas para toda a população. Em segundo lugar, irá reduzir a pegada ambiental e climática do sistema agro-pecuário.

Biodiversidade no campo

Outro dos objetivos da Comissão Europeia é regenerar a biodiversidade da Europa até 2030, o que inclui a transformação de um mínimo de 30% das terras da Europa em áreas protegidas efetivamente geridas e o restauro de um mínimo de 10% das terras agrícolas em caraterísticas paisagísticas muito variadas (sebes, ilhas de vegetação natural, margens não cultivadas, etc.), que contribuem para a diversidade da flora e da fauna.

A Europa pretende também recuperar áreas que possam ter sido degradadas pela agricultura intensiva, a fim de melhorar o solo e a água. O objetivo é também trazer os polinizadores (abelhas e outros insetos) de volta às terras agrícolas, para os quais a evolução das zonas rurais para pesticidas mais amigos do ambiente é fundamental.
“As provas científicas são claras sobre o impacto dos pesticidas no declínio dos polinizadores, o que tem um impacto económico muito negativo na produção”, avisou recentemente a Comissária do Ambiente Virginijus Sinkevičius. O objectivo da UE é proteger e regenerar a natureza e liderar o caminho para um quadro global ambicioso para proteger a biodiversidade do planeta”, disse ele.

Prevenir a degradação do solo

Outra linha de ação da Comissão, juntamente com os Estados-Membros, é um plano de gestão integrada de nutrientes para reduzir e prevenir a poluição causada pela utilização excessiva de fertilizantes e incentivar a reciclagem de nutrientes de diferentes formas de resíduos orgânicos como fertilizantes. Isto contribuirá para alcançar a ambição de poluição zero estabelecida no “Green Deal” da UE para 2050.

Translate »