Maio 23, 2022

Agricultura Internacional

Imprensa especializada do setor agrário

Importância da Contabilidade de Gestão nas Empresas Agrícolas

2 min read

agricultura

Introdução

A globalização dos mercados e o aumento da competitividade têm-se apresentado como um enorme desafio para o setor agrícola, conduzindo à necessidade de melhoria da gestão das empresas do setor, com base em sistemas de informação contabilística que permitam a obtenção de informação relevante à tomada de decisão. A utilização da Contabilidade de Gestão e a implementação de sistemas de custeio adequados são fulcrais para que as empresas agrícolas consigam conhecer em detalhe a sua estrutura de custos, identificar os custos associados aos seus produtos ou serviços, rentabilizar os recursos disponíveis e maximizar os resultados económicos, através da seleção das atividades mais vantajosas e das melhores opções de aquisição dos fatores de produção (Santos, 2010). Este artigo apresenta os procedimentos necessários à implementação de um modelo de custeio numa empresa agrícola, bem como as vantagens inerentes a esta implementação.

Determinação de custos

A Contabilidade de Gestão tem como um dos seus objetivos a determinação e análise dos custos inerentes à atividade exercida pela empresa e à consequente concretização dos seus objetivos. O custo, ou gasto, é a tradução monetária da utilização ou consumo de um recurso. Os gastos podem ser classificados, de acordo com a função no âmbito da qual são incorridos, em gastos de aprovisionamento, gastos de produção, gastos de distribuição, gastos administrativos, gastos de investigação e desenvolvimento e gastos financeiros (Franco et al., 2015).

Os custos de produção de um produto incluem o consumo de matérias-primas e outros materiais diretos, os custos com mão de obra direta, outros gastos diretos de produção e os gastos indiretos de produção (Franco et al., 2015). Ao contrário das três primeiras componentes do custo de produção que são facilmente atribuíveis aos objetos de custo (produtos, serviços, etc.), os gastos indiretos de produção (gastos com mão-de-obra indireta, depreciações, água, eletricidade e outros gastos de produção indiretos) requerem a adoção de uma metodologia de imputação sistemática para que possam ser repartidos pelos vários objetos de custo (Saraiva et al., 2019).

Seleção do modelo de custeio a implementar

A repartição dos gastos indiretos de produção requer a seleção da metodologia mais adequada às características da empresa em causa e dos seus processos produtivos (…).

Artigo completo e outros artigos exclusivos na Revista Voz do Campo.

Translate »