Janeiro 30, 2023

Agricultura Internacional

Imprensa especializada do Setor Agrário

A seca contribuiu para níveis elevados de micotoxinas nas culturas agrícolas

cereais

A seca contribuiu para níveis elevados de micotoxinas nas culturas agrícolas, revela a Análise Europeia de Colheitas Alltech 2022

À semelhança de 2021, a seca generalizada em toda a Europa durante a campanha agrícola de 2022 contribuiu diretamente para o desenvolvimento de fungos e micotoxinas nas culturas cerealíferas e forrageiras. As micotoxinas, produzidas por certas espécies de fungos, são uma preocupação para os produtores pecuários, uma vez que podem influenciar a qualidade das rações e, consequentemente, a saúde e o desempenho dos animais. A Análise Europeia de Colheitas Alltech 2022 revela a verdadeira ameaça que as micotoxinas representam para os animais e os produtores.  Para determinar com precisão a representatividade do risco de micotoxinas em toda a Europa, a Alltech voltou a colaborar com a SGS, líder mundial em análises e certificação de micotoxinas.  Os dados deste programa foram recolhidos para ingredientes-chave das rações, a nível regional, e a sua análise indica a existência de risco moderado a elevado de contaminação por micotoxinas.

Os resultados deste estudo baseiam-se na análise de mais de 1.000 amostras de culturas cerealíferas e forrageiras tradicionalmente produzidas e utilizadas pelo setor pecuário europeu. As amostras foram recolhidas em explorações agropecuárias e em fábricas de rações em 20 países da Europa, incluindo Portugal, permitindo obter uma panorâmica representativa e abrangente do risco de contaminação em todas as regiões.

“De uma forma geral, os resultados deste ano são muito semelhantes aos obtidos nas análises que realizámos em 2021, destacando-se a contaminação por aflatoxinas no Centro e no Sudeste da Europa como o maior desafio que os produtores pecuários e os fabricantes de rações têm em mãos”, afirmou Radka Borutova, responsável de apoio técnico na equipa de Gestão da Micotoxinas da Alltech na Europa. “Embora esta análise permita uma avaliação robusta do risco de micotoxinas na Europa este ano, somente quando produtores e fabricantes testarem os ingredientes que estão a utilizar, poderão implementar um plano de controlo eficaz”, acrescentou.

As principais conclusões da Análise Europeia da Colheitas Alltech 2022 são:

  • 100% das amostras continha micotoxinas e 79% continha duas ou mais micotoxinas.
  • Em média, cada amostra continha 4,5 micotoxinas.
  • Aflatoxinas, tricotecenos do tipo B, fumonisinas e micotoxinas emergentes foram os grupos predominantes detetados nas amostras.
  • 67 amostras de milho ultrapassaram os limites legais de aflatoxinas para a utilização em rações (>20 ppb).

O desafio das aflatoxinas no milho

Pelo segundo ano consecutivo, a contaminação por aflatoxinas do milho, no Centro e Sul da Europa, é uma questão importante a ter em conta por produtores pecuários e fabricantes de rações no momento da compra e utilização dos ingredientes durante a próxima época de alimentação.  A aflatoxina é uma toxina de climas quentes, e as condições de calor extremo ocorridas durante esta campanha agrícola poderão ter contribuído para os níveis de aflatoxina detetados nas amostras de milho.

Trigo e cevada

Os níveis de micotoxinas no trigo e na cevada são inferiores aos contidos no milho.  Enquanto o número médio de micotoxinas detetadas em muitas amostras de milho foi superior a 5, nos cereais de grão mais pequenos, a média rondou as 3. Esta variância reflete-se na quantidade equivalente de risco (REQ) e no risco de alimentar determinadas espécies e grupos animais com estes ingredientes. Por exemplo, para as porcas e os leitões desmamados, as amostras de milho deste ano representam um risco de micotoxinas moderado a elevado, mas no caso dos cereais de grão mais pequenos o risco de micotoxinas é considerado menor.

Palha

A palha é amplamente utilizada na alimentação dos ruminantes e como cama para os suínos, mas a contaminação da palha por micotoxinas é muitas vezes negligenciada. No entanto, conforme revelam as análises realizadas na Dinamarca, as amostras de palha contêm níveis mais elevados de micotoxinas. A micotoxina DON é a principal preocupação e resulta provavelmente de uma combinação de contaminação antes e após a colheita.  O problema pode ser agravado quando a palha é deixada no campo por um período prolongado, exposta à chuva e à humidade.

Forragens

Em todas as regiões da Europa, as amostras de erva e de silagem de milho continham níveis de micotoxinas considerados de elevado risco para a produção de bovinos de leite. A presença de níveis elevados de toxinas Penicillium é considerado como o principal contribuinte para este risco.

Risco para grupos animais específicos

  • Os produtores de suínos devem estar cientes de que o nível de risco no milho, baseado na média de REQ, para porcas de reprodução e leitões jovens é considerado moderado a elevado, enquanto o risco proveniente de grãos pequenos (trigo e cevada) é baixo, embora nalguns casos possa ser considerado moderado a elevado.
  • Quando analisados os níveis de contaminação do milho por micotoxinas na perspetiva do risco para as aves de capoeira, o risco para aves de reprodução, frangos e galinhas poedeiras é moderado, enquanto o risco proveniente de grãos pequenos (trigo e cevada) é baixo.
  • Nos ruminantes, os resultados das amostras de milho e de forragens analisadas até agora indicam um risco moderado a elevado para as vacas leiteiras.

Para mais informações sobre as soluções da Alltech para Gestão de Micotoxinas consulte o site: knowmycotoxins.com

Translate »