Julho 20, 2024

Agricultura Internacional

Imprensa especializada do Setor Agrário

Macfrut 2024 aumenta atratividade global

A digressão promocional da 41ª edição da feira internacional do setor dos produtos frescos prossegue em quatro continentes: Ásia, África, América do Sul e Europa do Leste.

As uvas de mesa serão o produto-chave da Macfrut 2024: são um dos pilares das exportações de frutas e legumes “Made in Italy” em todo o mundo, uma vez que muitas variedades de uvas inovadoras são exportadas com sucesso.

As apresentações internacionais da Macfrut 2024, a feira do setor dos produtos frescos que terá lugar no Centro de Exposições de Rimini (Itália) de 8 a 10 de maio de 2024, estão em pleno andamento. A conferência de imprensa de apresentação oficial em Doha foi seguida das primeiras missões comerciais internacionais organizadas para promover a Macfrut 2024 a nível mundial em quatro continentes: Ásia, África, América e Europa. O objetivo é sublinhar o papel fundamental desempenhado pela Macfrut no setor dos produtos frescos, atraindo este ano ainda mais expositores e visitantes internacionais do que no ano anterior.

Uma feira, quatro continentes

No início de setembro, a primeira missão comercial da Macfrut 2024 teve lugar no Azerbaijão, um país de importância estratégica para o setor das frutas e produtos hortícolas devido aos seus investimentos em infra-estruturas e na agricultura. A digressão promocional prosseguiu no coração da Ásia, na Índia, um país-chave para as frutas e legumes, que terá o seu próprio pavilhão na próxima edição da feira, com o dobro dos compradores em relação a 2023.

A delegação internacional da Macfrut viajou depois para África no início de novembro, mais concretamente para a República Democrática do Congo. Muitas empresas expositoras congolesas participarão na Macfrut, com o objetivo final de aumentar a produção agrícola através da criação de uma cadeia de frio eficiente e de alto desempenho. Foram também realizadas duas apresentações em Moçambique e na África do Sul, que partilham o mesmo objetivo que a RDC, provando mais uma vez a importância deste continente: de facto, África terá o seu próprio pavilhão na Macfrut 2024.
No que diz respeito ao continente americano, a delegação deslocou-se à República Dominicana onde, a 14 de novembro, a Macfrut foi apresentada a uma audiência de associações e intervenientes na produção e comercialização de frutos exóticos. A República Dominicana é, desde há muitos anos, um dos países mais representados na Macfrut, não só porque a feira é frequentada por compradores interessados nas suas frutas tropicais (especialmente bananas, ananases, mangas e abacates biológicos), mas também porque este país procura novas tecnologias e serviços para o seu setor hortofrutícola.

Quanto à Europa, a delegação viajou primeiro para a Albânia, com especial destaque para as plantas aromáticas e medicinais, das quais este país dos Balcãs é o quinto maior produtor mundial. A Spices & Herbs Global Expo será uma das principais exposições da Macfrut e tem como objetivo dar maior visibilidade internacional a estes produtos e abrir novos mercados para o setor.
Há poucos dias, a Macfrut 2024 foi também apresentada na Bulgária, país que tem um interesse particular nas tecnologias italianas, a uma audiência de associações e empresas búlgaras do setor das frutas e legumes.

“O facto de terem sido realizadas apresentações internacionais da Macfrut na Ásia, África, América Central e Europa de Leste é mais uma indicação de que esta feira está a tornar-se cada vez mais popular em todo o mundo”, afirmou Renzo Piraccini, Presidente da Macfrut. Graças a um grande esforço e com o apoio do ICE – Italian Trade Agency, do Ministério italiano dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação Internacional (MAECI) e de numerosos organismos e instituições internacionais, a Macfrut tornou-se um evento cada vez mais influente e de grande importância para o setor das frutas e produtos hortícolas. A Macfrut gira em torno de três pilares: negócios, conhecimento e redes, e está a melhorar cada vez mais ao reunir diferentes instituições, organizações e países e ao ter um impacto no setor em todo o mundo. “Não é apenas um motivo de orgulho para nós, mas é também a nossa missão”, finaliza Piraccini.

Translate »