Dezembro 8, 2022

Agricultura Internacional

Imprensa especializada do Setor Agrário

Famílias de culturas e necessidades fitossanitárias: Litráceas

A romã, pertencente à família Litráceae, destaca-se pela adaptabilidade. Mesmo assim, necessita de um controle adequado de sua fitossanidade.

Esta família botânica possui cerca de meio milhar de espécies em todo o mundo, com considerável heterogeneidade, uma vez que é composta tanto por variedades herbáceas como por arbustos e mesmo por árvores de considerável tamanho.

Porém, apesar dessa diversidade, a presença agrícola das litráceas concentra-se em uma única espécie, pertencente à subfamília das Punicáceas, como a romã.

O cultivo da romã caracteriza-se, principalmente, pela sua capacidade de se adaptar a praticamente qualquer tipo de condições de solo e disponibilidade de recursos hídricos, a ponto de ser uma variedade de frutas que costuma estar presente naqueles espaços agrícolas em que o plantio de outras espécies não são possíveis ou recomendadas.

No entanto, é necessário esclarecer que as melhores condições para o desenvolvimento desta cultura estão associadas a locais com clima subtropical, ou mesmo tropical, e nos quais pode haver solos profundos, independentemente do seu nível de alcalinidade.

Da mesma forma, essa resistência da romã às condições, a priori, menos propensas, em nada impede que ela seja exposta a diferentes pragas de maior ou menor endemismo em nosso território, como a cochonilha ou cotonet, a broca, a cochonilha da fuligem ou a casca negra.

Da mesma forma, também é necessário estar atento ao possível aparecimento de doenças como podridão dos frutos ou triagem, a fim de tomar as medidas cabíveis para interromper o seu desenvolvimento e, assim, minimizar os danos causados ​​à árvores.

Translate »