Maio 7, 2021

Agricultura Internacional

Imprensa especializada do setor agrário

Saúde: Tratado sobre pesticidas e alimentação em 6 partes

2 min read

A revista GLP – Genetics Literacy Project acaba de publicar a sexta parte de uma série de textos sobre pesticidas e alimentação.

〈 13/04/21 〉

Entre as conclusões que sobressaem destacam-se estas: a segurança dos agrotóxicos é constantemente avaliada; os seus resíduos nos produtos são muito baixos para causar problemas de saúde; os níveis de pesticidas detetados nos produtos convencionais é semelhante aos dos produtos biológicos.

Os pesticidas ainda estão no topo da lista de preocupações dos consumidores  norte-americanos no momento de decidir que alimentos ou produtos comprar. Mesmo em níveis mínimos, os pesticidas ainda são considerados perigosos e prejudiciais para o meio ambiente. Mas muitas dessas opiniões baseiam-se em crenças e em evidências científicas atuais, como sustentam os autores da série de textos sobre pesticidas e alimentação que a revista Genetics Literacy Project tem vindo a publicar.

Na verdade, dizem Kayleen Schreiber e Marc Brazeau, o uso de pesticidas tem diminuído muito e a sua toxicidade e impacto ambiental terem melhorado significativamente nas últimas décadas. Ainda assim, muitas pessoas continuam preocupadas com a sua aplicação.

O texto 6 da série sobre pesticidas e alimentação tem como título“Resíduos de pesticidas – Há algo com que se preocupar?” e nele os autores destacam algumas das principais questões que preocupam os consumidores nos EUA, acabando por desmontar muitos argumentos divulgados nos órgãos de informação: dizem que esses argumentos “são demasiado redutores em comparação com o real desafio de produzir alimentos da maneira mais saudável e eficiente possível”.

Alegando que é fácil considerar boa a agricultura biológica e má a agricultura convencional, os autores sustentam que isso “não corresponde à verdade e não é a melhor maneira de melhorar as práticas agrícolas daqui para frente”. Muitas mudanças e melhorias surgiram ao longo das últimas décadas nos pesticidas e nas práticas agrícolas e para para continuar esta evolução é necessário avaliar individualmente cada pesticida, cada tecnologia e cada prática agrícola e compará-los constantemente com alternativas viáveis. Alegam Kayleen Schreiber e Marc Brazeau que esta “é a única maneira de enfrentar com precisão científica os desafios do futuro”, como o aumento da população e as alterações climáticas.

Leia o texto 6 completo aqui.

Não perca também os textos:

1 – O uso de pesticidas diminuiu?

2 – Os pesticidas melhoraram?

3 – Quão perigoso é o glifosato?

4 – Como é que os pesticidas biológicos se comparam aos pesticidas de sintese?

5 – Saúde do solo – Quando os pesticidas químicos de síntese são mais sustentáveis ​​do que os ‘naturais’.

Translate »